A polícia me dá medo

Eu tenho medo de um policial me abordar na rua e deixar sua arma disparar acidentalmente. Em geral será um jovem de vinte e poucos anos que, geralmente não tem um treinamento adequado à importância e periculosidade da função, uma vez que este porta armas letais. Passou num concurso público, teve um "treinamento" medíocre e vai de fato aprender a ser policial nas ruas, errando e acertando, nesses erros, vidas se vão. Eu tenho medo de andar com qualquer coisa na cintura ou na mão se tiver formato cilíndrico e que possa ser confundido com uma arma. Eu não saio a noite de a pé, só de carro e olhe lá. Uma abordagem policial, somente para revista pode se transformar numa tragédia. O despreparo é tão grande que certos profissionais ficam mais nervosos do que o cidadão abordado.  

Além disso, ouvi de inúmeros "colegas" que seu principal motivo da tentativa de ser policial era o poder. Creio que exista um grande grupo dentro das corporações que estão lá, não para servir e proteger, e sim para ter poder, poder andar com uma arma na cintura, pode abordar qualquer um na rua sem motivo, poder fazer o que ele gostaria de fazer, mas sem o título de policial não pode porque é um covarde, um frango. Alguns objetos dão poder ao portador, quando em posse, essas pessoas se transformam, ficam fortes, violentas, por exemplo, armas letais e carros. Todo covarde fica violento com com arma na cintura ou dentro de um carro. 

Sempre fui a favor da paz, fui treinado para pensar que não se combate violência com violência, mas nos últimos tempos perdi minha inocência,  a verdade é que há uma violência em forma de ruído de fundo que sempre existiu e eu fui treinado para não ouvir, treinado para relativizar. Como diz certo político, não se combate fascismo com flores, eu parafraseio dizendo que não se combate racismos, xenofobia, homofobia, etc, com flores. Se combate além de tudo, com força, com manifesto e com guerras, se for o caso. O mundo vive em situações de tensão desde sempre. Um país só respeita o outro se o outro tiver bomba atômica, ter poder bélico, não creio tanto em bom senso mais, o seu vizinho não invade sua casa, rouba suas coisas e violenta sua família porque não tem certeza de sair impune disso, ou por você ou algum tipo de guarda. Poucos são conscientes, poucos têm humanidade, poucos têm senso de direitos e deveres. Somos animais e precisamos constantemente ser lembrados pelos que nos rodeiam que se bater leva, pelo contrário, viramos saco de pancada. Creio que os grupos de minorias, como negros, latinos, mulheres, lgbt, etc vem sendo saco de pancada dessa gente covarde a muito tempo, na verdade, desde sempre. 

Claro, precisamos tirar dessa trupe, os bons policiais, experientes, que têm bom senso, conhecem seus direitos e deveres e estão ali para servir e proteger, não se corrompe  e trabalha em uma guerra infinita para que possamos dormir em paz. A estes, meus parabéns. Fico feliz e grato que existam. Mas ainda continuo angustiado e com muita raiva por saber que provavelmente os bons não representam a maioria. E segue o medo constante!

Leave a comment

Please or register to post.

Add comment